Dia Nacional da Saúde

Dia Nacional da Saúde

Dia Nacional da Saúde

Dia Naciona da Saúde

O Dia Nacional da Saúde é celebrado anualmente em 5 de agosto no Brasil.

O objetivo da comemoração é conscientizar a sociedade brasileira sobre a importância dos cuidados com a saúde e trazer reflexões sobre o nosso sistema de saúde.

A data também incentiva a educação sanitária para despertar na população o valor da saúde e dos cuidados para com ela.

O 5 de agosto também celebrada o nascimento de Oswaldo Cruz, um dos principais responsáveis pelo desaparecimento de epidemias que acometiam o Brasil até o início do século XX, como febre amarela e varíola.

Origem do Dia Nacional da Saúde

O Dia Nacional da Saúde foi oficializado e inserido no calendário oficial brasileiro através da Lei nº 5.352, de 8 de novembro 1967, do Ministério da Saúde e da Educação e Cultura.

O dia 5 de agosto foi escolhido para celebrar o Dia Nacional da Saúde por ser a data de nascimento do sanitarista Oswaldo da Cruz. Esse profissional foi um importante personagem na história do combate e erradicação das epidemias da peste, febre amarela e varíola no Brasil, no começo do século XX.

Oswaldo da Cruz nasceu em 5 de agosto de 1872 e foi responsável pela criação do Instituto que atualmente conhecido como Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, além da fundação da Academia Brasileira de Ciências.

Internacionalmente, a data é celebrada no Dia Mundial da Saúde anualmente em 7 de abril.

Frases para o Dia Nacional da Saúde

  • “Saúde é um estado de completo estado físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças.”
  • “A gente quer é ter muita saúde. A gente quer viver a liberdade. A gente quer viver felicidade…” (Gonzaguinha)
  • “O cuidado com a saúde é um hábito que todos devem ter. É muito importante lembrar de nossa saúde diariamente”.
  • A saúde é o nosso maior bem, por isso cuide dela. Você pode ter tempo, dinheiro e oportunidades, mas sem saúde você não desfrutará a plenitude da vida.
  • Seus hábitos impactam positivamente ou negativamente sua saúde, por isso seja responsável.

Fonte: Calendarr Brasil 2022

Osvaldo Gonçalves Cruz: pioneiro sanitarista brasileiro

Oswaldo Cruz e o combate às epidemias

O Brasil era assolado por diversas moléstias infecciosas na época. Oswaldo Cruz decidiu enfrentar as principais doenças que assolavam a capital federal, como febre amarela, peste bubônica e varíola. Para isso, adotou métodos tidos como drásticos por outros médicos, como o isolamento dos doentes, a notificação compulsória dos casos positivos, a captura dos vetores, como mosquitos e ratos, e a desinfecção das moradias em áreas endêmicas. Sua base era o Instituto Soroterápico Federal, de onde deflagrou campanhas de saneamento e, em poucos meses, a incidência de peste bubônica diminuiu com o extermínio dos ratos, cujas pulgas transmitiam a doença.

O combate à febre amarela foi difícil, já que grande parte dos médicos e da população acreditava que a doença se transmitia pelo contato com as roupas, suor, sangue e secreções de doentes. Oswaldo Cruz, porém, acreditava que o transmissor da febre amarela era um mosquito. O método tradicional de combate à febre amarela na época era através da desinfecção, suspensa por Oswaldo Cruz, onde ele implantou no lugar medidas sanitárias com brigadas que percorriam as casas, eliminando focos de insetos. Tal medida provocou uma forte reação da população.

A irritação da população com suas medidas sanitárias explodiram quando ele tentou promover a vacinação em massa da população contra a varíola, em 1904. Vários jornais da época lançaram editoriais contra a medida. O Congresso se manifestou contra e até uma liga anti-vacinação foi organizada. Em 13 de novembro estourou uma rebelião popular, conhecida como Revolta da Vacina, e no dia 14, a Escola Militar da Praia Vermelha se levantou. A rebelião foi derrotada pelo governo, que também suspendeu a vacinação obrigatória. Mas em 1907, a febre amarela foi erradicada no Rio de Janeiro e em 1908, quando eclodiu um novo surto de varíola, as pessoas procuraram os postos de vacinação mais próximos.

A crise não o impediu de partir em uma expedição a 30 portos marítimos e fluviais de Norte a Sul do país para estabelecer um código sanitário com regras internacionais entre 1905 e 1906. Sua postura de enfrentamento às doenças ganhou reconhecimento internacional em 1907, quando Oswaldo Cruz recebeu a medalha de ouro no 14º Congresso Internacional de Higiene e Demografia de Berlim, na Alemanha, pelo trabalho de saneamento do Rio de Janeiro. Ele ainda reformou o Código Sanitário e reestruturou todos os órgãos de saúde e higiene do país.

Em seu retorno ao Brasil, em 1908, Oswaldo foi recebido como um herói nacional e em 1909, o Instituto Soroterápico Federal levaria seu nome, passando a se chamar Instituto Oswaldo Cruz. Em 1910 combateu a malária durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (viajou a Rondônia com Belisário Penna), e a febre amarela, a convite do governo do Pará.

Para poder se dedicar inteiramente ao seu trabalho no instituto em Manguinhos, Oswaldo deixou a Diretoria Geral de Saúde Pública em 1909. Em 1913, foi eleito para a Academia Brasileira de Letras. Em 1915, devido a problemas de saúde, abandonou a direção do Instituto Oswaldo Cruz e mudou-se para Petrópolis, onde foi eleito prefeito em 1916, mesmo ano em que ajudou a fundar a Academia Brasileira de Ciências. Chegou a traçar um vasto plano de urbanização da cidade, que acabou não sendo construído.

Fonte: Wikipédia Brasil

Arcos e Região Brasil Curiosidades Destaque Saúde