Falta d’água: problema recorrente em Arcos

Falta d’água: problema recorrente em Arcos

Falta d’água: problema recorrente em Arcos

Kelli Carvalho, moradora do bairro Hilda Borges de Andrade

O período de estiagem está no início e é uma das fases em que a falta d’água assombra a cidade, independente do que se tenha feito até agora.


Mas, o que é fantasma para alguns, é dura realidade para outros arcoenses que sofrem rotineiramente com a escassez de um produto que todos deveriam ter acesso. É o caso da arcoense Kelli Carvalho, moradora do bairro Hilda Borges. Ela lembra: “Fui morar no bairro em 2009, depois mudei pro Calcita e retornei pro bairro em 2016. Sempre teve essa falta de água, é constante e frequente”.


Kelli descreve o problema: “A situação é crítica. É lamentável. Eles (referindo-se à Copasa) costumam abrir a água à meia noite e às seis horas da manhã eles fecham, ficando o dia todo sem água”. Ela disse que isso acontece, no mínimo, três vezes por semana. Lembrou que, dias atrás, o bairro ficou quase 28 horas seguidas sem água; e afirmou que nos finais de semana, também falta água. “Água é primordial. Você não ter água na sua casa, é desumano. Você paga por ela”.


Kelli mora com a família: o marido e três filhos. “Eu distribuo sopa (faz a redistribuição do Sopão Solidário na sua área). Mas, minha dificuldade é: sem água, muitas vezes não consigo lavar os baldes”. Da Copasa já recebeu diversas explicações, justificativas e situações que vêm causando o problema: roubo de cabos da Copasa, queima de booster (instalação de bombeamento d’água) por conta de sucessivas quedas de energia e outros. “Com a troca do booster, ficou cinco ou seis meses, mas o problema voltou, porque a Copasa informou que o equipamento era alugado”.


Kelli conta que, às vezes, liga no 115, mas eles não estão sabendo o que acontece. Respondem que “não há obra, não há nada, nenhum serviço previsto”.

Na caminhada em busca de solução, ela já esteve em diversos órgãos, dentre eles na Câmara de Vereadores. “Fui procurar o vereador Ronaldo Ribeiro (presidente) e o vereador Letinho. Eles têm me acompanhado e buscado soluções para nós junto à Copasa. Sempre que falta, eu recorro a eles”.
O vereador Ronaldo Ribeiro, presidente da Câmara, informou que, desde o início do seu mandato, tem acompanhado a situação junto a moradores de várias regiões de Arcos, inclusive da zona rural. “Conseguimos, no ano passado, a troca de um booster junto à Copasa, que amenizou um pouco a situação, principalmente na região do bairro Nova Morada. Como aquela região é mais alta, qualquer falta de água na cidade impacta diretamente aquela região”, relatou e acrescentou que já foi solicitada, junto à Copasa, uma solução, inclusive a possibilidade de uma nova caixa d’água e até mesmo a possibilidade de furar um poço para auxiliar e reforçar no abastecimento.
Ronaldo Ribeiro apresentou diversos ofícios encaminhados ao Executivo e à Copasa, encaminhando e solicitando solução para a questão da falta d’água.


O vereador Letinho enviou áudio à Redação, confirmando sua ação em prol da mesma questão e disse que está indignado com a situação. Lembrou que o Superintendente Regional da Copasa, João Martins, esteve em Arcos, em reunião com vereadores, e trouxe um gerador. E completou: “Como segue faltando água continuamente, nós estamos cobrando da Copasa o aumento do reservatório de água, que resolva. Que de fato, façam algo para que não falte mais água nos bairros Nova Morada 2 e Hilda Borges. É uma cobrança de todos os vereadores e continuaremos cobrando”.


Segundo o promotor Rafael Parisotto, “existe na Promotoria um procedimento contra a Copasa, antigo, em razão da falta de água em Arcos”. Disse que, por meio dele, o Ministério Público acompanha o serviço. Atualmente, o MP aguarda um estudo da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (ARSAE-MG) sobre a situação do serviço em Arcos-MG. O estudo conterá todos os problemas relativos ao abastecimento de água e esgoto do município, subsidiando a realização de intervenções estruturais que resolvam o problema de forma efetiva.


O promotor informou, ainda, que tramita um processo judicial do Município contra a Copasa, em razão dos problemas da falta de água.

A Copasa responde
Em resposta aos questionamentos sobre a situação que, conforme o relato da moradora, existe desde 2009, a COPASA respondeu:
“A Copasa informa que as interrupções e intermitências ocorridas na região dos bairros Hilda Borges e Nova Morada II, em Arcos, são pontuais e em razão de manutenções emergenciais na rede que atende a esses bairros. No último dia 02 de julho, foi corrigido um vazamento oculto, ou seja, não visível na superfície, que causou intermitência no sistema. No dia 13 de julho foi corrigido outro vazamento na rede do bairro Fortunato Rezende, que afeta a região do Hilda Borges e Nova Morada II. Em ambos os casos, foi preciso fechar o registro para a correção, mas o abastecimento foi restabelecido no mesmo dia”.

A nota informa ainda:
“Foi ativado um poço profundo que atende a região para reforçar o abastecimento dos mais de 3 mil clientes nos bairros Alvorada, Buritis, Fortunato, Hilda Borges, Nova Morada I e II, Olaria, São Bento e Serra Verde. Também será realizada uma melhoria na reservação dos bairros com uma interligação no reservatório do bairro Serra Verde, que aguarda a ligação de energia por parte da concessionária responsável para início da operação”. Cordialmente, Assessoria de Imprensa da Copasa”.

Está aí uma pauta que o Jornal CCO seguirá acompanhando, especialmente diante do período de estiagem que está iniciando.

Arcos e Região Destaque Notícias