Baixa estatura em crianças e adolescentes

Baixa estatura em crianças e adolescentes

Baixa estatura em crianças e adolescentes

two boys standing by the wall looking arrogant
Photo by RODNAE Productions on Pexels.com

Desde a vida intra-uterina, vários hormônios e nutrientes são necessários em quantidades adequadas para o perfeito crescimento do organismo. Hormônios como o Hormônio do Crescimento (também chamado de GH), insulina, hormônios da tireoide e cortisol são importantes para o desenvolvimento de todo nosso corpo, em especial a região dos ossos conhecida como cartilagem de crescimento. É esta cartilagem que permite que os ossos cresçam; quando ela se torna amadurecida, os ossos param de crescer. Além dos hormônios, vários nutrientes como o cálcio, fósforo, proteínas e vitaminas ajudam na formação dos ossos e músculos.
No adolescente, os hormônios testosterona e estrogênio passam a ser produzidos em grande quantidade e são importantes na aceleração do crescimento, chamada de estirão.

Baixa velocidade de crescimento: sinal de problemas!
Um dos primeiros sinais de que algo não vai bem com a saúde de uma criança é a diminuição da velocidade de crescimento. Às vezes esta é a primeira alteração que aparece na criança quando uma doença séria está presente, como: anemias, infecções crônicas e problemas hormonais.
Acompanhar o quanto a criança está crescendo permite suspeitar e detectar várias doenças. Quanto mais cedo se detectar e tratar tais problemas, melhores os resultados na altura final.

Quando os pais devem suspeitar que o filho apresenta problemas com o crescimento?
Existem três situações em que se suspeita de problemas:
1º: criança muito baixa em relação às crianças da mesma idade
2º: criança muito baixa em relação ao padrão de altura da família
3º: diminuição importante da velocidade de crescimento

Quais as causas de baixa estatura?
Várias condições podem alterar o crescimento normal como deficiência na produção de hormônio de crescimento (GH), tireoide, testosterona e estradiol, doenças do fígado e rins, anemias, reumatismos, verminoses, falta de vitaminas, desnutrição, problemas psicológicos (estresse, ansiedade, depressão), alergias e várias outras doenças. Alguns casos se devem a problemas genéticos e hereditários.
Diversas medicações podem provocar amadurecimento precoce da cartilagem do crescimento, fazendo o crescimento parar antes da época correta.
Durante a gravidez, o uso de bebidas alcoólicas e cigarro, pela mãe, podem comprometer seriamente o crescimento do feto e prejudicar o crescimento da criança após o nascimento, às vezes de forma irreversível.

Como é o tratamento?
O tratamento correto é realizado de acordo com a causa da baixa estatura. Quanto mais cedo iniciado o tratamento, menor o prejuízo da altura.
Para todos os casos, são orientadas atividades físicas regulares pela criança e alimentação balanceada. Algumas crianças podem precisar de suplementos alimentares e de vitaminas. As crianças com baixa produção de hormônios deverão receber reposição hormonal adequada.
Nas crianças com baixa produção do Hormônio de Crescimento (GH), o tratamento consiste na administração deste hormônio na forma injetável, geralmente em doses diárias.

Dr. Tarcísio Narcísio Silva – médico endocrinologista e metabologista (CRM 36.468)

Destaque Dr. Tarcísio Silva Saúde