Túnel do Tempo (2002)

Túnel do Tempo (2002)

Túnel do Tempo (2002)

Nílson e Nélsom lançam segundo CD

CCO – Como começou a dupla e quais foram as dificuldades encontradas?

N & N: Cantamos desde meninos. Por volta de 1979 é que começamos a cantar profissionalmente. Na época, eu (Nílson) tinha 14 anos; e o Nélson, 16.

Começamos em casa, ensaiando, cantando escondido. Depois, eu (Nilson) comecei a aperfeiçoar em acordeom (sanfona), violão, e quando já estava tocando um pouco, o Ribeirinho juntou-se a nós e gravamos nosso primeiro trabalho LP de vinil. Na época, a música que se destacou foi ‘Só Deus é Poder’. Vendemos muito desse disco.

A música sertaneja não era bem aceita. Era muito criticada porque não tinha um instrumental bom, era mesmo só um arcodeom e uma viola, e por isso ficava muito longe da música popular. Hoje tudo mudou, a música sertaneja é tão sofisticada quanto a MPB.

CCO: Quem foram os maiores incentiva-dores da dupla?

Nélson: Quando começamos, tive o apoio moral da minha família, que sempre me incentivou, mas a responsabilidade e criação da dupla a gente deve a Dª Castorina (mãe do Nilson) que ajudou tanto na parte financeira quanto na divulgação. Ela saía com o disco debaixo do braço e vendia para a gente. Nós somos muito gratos a ela.

Nílson: Como eu te falei antes, na época o pessoal não acreditava muito na música sertaneja. Mas o professor Roulien, com muita garra, promovia festivais sertanejos e  chamava as duplas para cantar. Sempre participamos, e isso nos valorizou muito a dupla. Íamos para as roças, tocávamos nos bailes, e assim o pessoal começou a conhecer a dupla Nilson & Nelson. Nós forçamos a barra para o povo acreditar na música sertaneja. Depois começamos com música ao vivo em bares. O 1º lugar foi o Tio Patinhas, onde tocamos durante três anos  e tínhamos um público grande, uma média de 600 pessoas todas as sextas-feiras.

CCO – Qual a música de destaque no 2º LP?

N & N: O 2º nós gravamos em 1984 e regravamos algumas músicas do Delmir (dupla Delmir e Delmon – antigo Trio Parada Dura). As que mais tocaram foram ‘Tô Doidão’ e ‘O Presente da Vizinha’.

CCO: Quanto custa a gravação de um CD?

N & N: Hoje fica em torno de R$ 20.000,00 para fazer um trabalho bem feito, depois você batalha e vende o CD. Mais difícil é a divulgação, que é muito cara.

CCO: Vocês têm idéia de quantos shows têm que fazer para cobrir esses 20 mil?

N & N: Uns 35 shows ou mais.

CCO – O que esperam com esse novo trabalho?

N & N: Esperamos que saia bem, nós acreditamos muito nele e estamos torcendo e pedindo o pessoal para dar mais apoio. Em Formiga e Bambuí, sempre que vai ter um show, primeiro eles contratam os artistas da cidade, depois um artista mais caro, aqui é o contrário. Eles acham que a dupla do lugar não deve se apresentar porque todo mundo já conhece. Então, pedimos o apoio de quem tem condição de ajudar a dupla aqui em Arcos, a exemplo do departamento de Cultura (…) Precisamos de apoio para levar nosso CD até a televisão, porque hoje é ela que faz o artista.  Com isso, a gente não estaria divulgando somente o disco, mas também o nome de Arcos.

CCO – O novo CD já está à venda em Arcos? Onde?

N & N – Já está à venda na Discoteca Barbosa, Loja Sem Nome, Bet Peças, com a própria dupla e em Formiga.

CCO – Quando e onde será a festa de lançamento do novo CD?

N & N: Com exclusividade nós vamos divulgar a data para o CCO. Estamos programando a festa para o dia 27 de abril. Se o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais liberar o Chopão, faremos lá.

O ingresso será a compra do CD da dupla, por R$ 15,00. ela vai receber em casa um convite dois dias antes da festa. Quem comprar o CD deve deixar nome e endereço na loja, para receber o convite em casa.

CCO –  Existe algum convite para aapresentação na exposição agropecuária  de Arcos?

N & N: Ainda não fomos convidados, e pelo que eu sei, já fizeram todas as contratações. Acho que Nílson & Nélson está de fora, mais uma vez.

CCO: Quais os estilos de músicas tocadas durante os shows?

N & N: Variado. A gente toca o que o povo pede. Além das nossas, também interpretamos Rick e Renner, Zezé di Carmargo e Luciano, Chitãozinho e Xororó, Gino e Geno e outros.

CCO: Qual a mensagem que a dupla deixa para os arcoenses?

Nílson – Que nunca critiquem o trabalho dos outros. Conto com o apoio de todos vocês para nos ajudar nesse novo trabalho e convido a todos paraparticiparem dessa grande festa que com certeza vai ser um  sucesso, show para amanhecer o dia com muito chope e alegria.

Nélson – A dupla sertaneja só tem valor quando  permanece unida. Nós sempre fomos unidos, fui criado com o Nilson aqui dentro de casa, e nós nos consideramos mais do que irmãos. A dupla só prospera quando tem esse incentivo que recebemos de quem compra o CD.

Eu pediria para as pessoas que têm o poder na mão, que olhem para essas outras duplas que estão começando, não para Nilson e Nelson, porque já estamos mais ou menos no embalo. Mas para o pessoal que canta aqui dentro de Arcos, que tem muita gente boa aqui.

Arcos e Região Curiosidades Destaque Túnel do Tempo