Idosos e os cuidados com o calor

Idosos e os cuidados com o calor

Idosos e os cuidados com o calor

man wearing blue hurley shirt

Com o verão a todo vapor, surgem nesse momento vários problemas de saúde relacionados às altas temperaturas. Insolação, desidratação e alguns tipos de viroses são muito comuns nessa época principalmente entre os idosos e crianças. Algumas dúvidas e recomendações importantes são esclarecidas a seguir visando à prevenção de complicações pelo calor excessivo.

Por que idosos se desidratam com mais facilidade?

Com o envelhecimento, perdemos um pouco de nossa capacidade de sentir sede; muitos idosos chegam a passar vários dias sem ingerir um copo sequer de água, ficando predispostos à desidratação. A grande maioria dos idosos faz uso de várias medicações, que podem diminuir ainda mais a sensação de sede. Algumas medicações usadas pelos idosos aumentam a perda de água pelos rins. Muitos desses pacientes têm dificuldades de se locomover, dependendo de outras pessoas para se alimentar e ingerir líquidos. Outra alteração que surge com o envelhecimento é uma menor capacidade do rim de reter sódio e água; os idosos apresentam dessa forma uma maior perda de urina, principalmente à noite, que precisa ser reposta durante o dia. Todos esses fatores favorecem a desidratação nos idosos. 

Quais os riscos da desidratação?

Cerca de 60% de nosso peso corporal se deve à água. A maioria das reações químicas de nosso organismo depende da presença de água e é pela água da urina que eliminamos as impurezas. 

Quando o organismo está desidratado, todos os órgãos começam a trabalhar com dificuldades. As toxinas passam a se acumular nos tecidos e os problemas de saúde que a pessoa já apresenta começam a descompensar.  Diabetes, problemas cardíacos e respiratórios, alterações no sistema nervoso, doenças renais, dentre outros, vão se agravando a ponto comprometerem seriamente a saúde do paciente. 

Quais os sintomas?

Os principais são: boca seca, fraqueza, tonturas, diminuição da quantidade de urina, urina mais concentrada. Em casos mais graves pode levar a confusão mental, apatia, queda de pressão  arterial, desmaios e convulsões. Com dito anteriormente, a desidratação piora os problemas de saúde que o paciente já apresenta, aumentando o risco para infarto, derrame, trombose, embolias, cetoacidose diabética, dentre outros.

Um grande problema é com relação aos idosos. Em muitos casos, os sintomas da desidratação não são percebidos no início do quadro, sendo muitas vezes confundidos com efeitos de medicações ou problemas de saúde que o idoso já tem há mais tempo. A demora em se detectar a desidratação nos pacientes idosos pode ser fatal. Por isso, as medidas de prevenção contra a desidratação são tão importantes. 

Algumas dicas para o período de calor excessivo:

Calçados e roupas leves, não sair em horários de sol muito forte, evitar lugares abafados e usar sempre protetor solar são algumas dicas que ajudam a enfrentar o verão de maneira mais saudável

A hidratação nesse período é fundamental para repormos as perdas de água e minerais provocadas pela transpiração excessiva. A alimentação deve ser leve, sem excessos de gorduras e carboidratos, rica em frutas e verduras variadas, as quais ajudam na hidratação.

Uma regra para avaliar se a hidratação está adequada é prestar atenção na cor e quantidade de urina. A urina deve ser de tom amarelo claro e o ideal é que não fiquemos mais de 4 horas sem produzir nenhuma urina. Se a cor e quantidade de urina não estiverem de acordo com o recomendado, devemos ingerir mais água e outros líquidos. 

Outra dica importante é com relação à água de côco. É uma importante fonte de água e minerais com alto poder de hidratação. No entanto, pacientes diabéticos devem tomar cuidado porque é rica no açúcar frutose, que pode descontrolar a glicemia; dessa forma, diabéticos não devem ingerir mais que 500 mL por dia. 

Arcos e Região Dr. Tarcísio Silva