Suspensão temporária da emissão de Carteiras de Identidade em Arcos

Suspensão temporária da emissão de Carteiras de Identidade em Arcos

No final do mês de dezembro e início de janeiro foi necessário suspender a produção de carteiras de identidades, assim como no início de fevereiro. O Jornal CCO conversou com a responsável pela emissão em Arcos, Vitória Lúcia da Silva, que explicou os motivos da pausa.

Durante o período de 20 de dezembro de 2021 a 14 de janeiro, a funcionária estava de folga; logo após sua volta, teve que ficar em isolamento social; e nas últimas duas semanas, as cédulas nas quais são confeccionadas as identidades estavam em falta no Poupa Tempo em Arcos. Conforme ela informou, a Delegacia de Formiga – regional dos munícipios de Arcos, Iguatama e Pains – estava sem material para enviar ao posto da cidade. Somente na última terça-feira, 15, o encarregado iria buscar essa matéria-prima em Belo Horizonte.

Segundo a funcionária do setor, pessoas de outras cidades como Belo Horizonte, Divinópolis e Iguatama também estão vindo fazer a identificação em Arcos. Ela espera que nesta segunda-feira, 21, já esteja emitindo as carteiras novamente; orienta a população para ligar no Poupa Tempo e verificar. Segundo a servidora, em Formiga a falta de matéria-prima não é comum, por ser a Delegacia Regional.

Vitória Lúcia esclarece que faz o pedido com antecedência, mas se não tem material em Formiga, é necessário esperar a demanda da capital. Ela informa que são cedidas apenas 150 cédulas por pedido e diz que, há oito anos, eram 350 cédulas. O número diminuiu no decorrer dos anos e, aproximadamente no ano passado, houve uma redução no número de cotas da Delegacia Regional.

A servidora comenta que todo o processo é burocrático. As cédulas são numeradas e todas no nome e CPF dela. Com esse material em mãos, é preciso efetivar o cadastro no sistema e só assim começar a expedição da identidade. “Qualquer cédula que sai aqui está cadastrada no meu nome, eu sou responsável por ela”, afirma Vitória, que ainda precisa prestar conta de todo esse material.

São distribuídas 15 senhas para controle, diariamente, mas conforme ela explicou, sempre atende mais que 15 pessoas, em outras circunstâncias. Quando alguém vai solicitar a 2ª via e a versão digital não está disponibilizada no sistema, é preciso ligar para Belo Horizonte, onde as encarregadas vão procurar essa digital no arquivo para liberá-la. Todo esse processo leva de 25 a 30 dias e são mais recorrentes em identidades com numeração de 10 a 17 milhões. Quando liberadas essas digitais, as pessoas não precisam enfrentar a fila novamente, é marcado um horário no fim do expediente e esses cidadãos vão até ao Poupa Tempo. Vale ressaltar que esse problema só ocorre com segundas vias.

A servidora também explicou que reserva um horário específico (geralmente às sextas-feiras) para instituições como o abrigo, o asilo e a APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados). Também informou que o posto de identificação precisa de reservas de material, para casos de urgência.

No Poupa Tempo, Vitória Lúcia é a única servidora responsável pela emissão de identidade. Segundo a mesma, é preciso fazer um curso para executar esse serviço e não há servidores interessados no momento. O Poupa Tempo é um serviço público municipal, mas todas as carteiras de identidade são expedidas pela Delegacia da Policia Civil.

Ela ressalta a importância de se manter o documento de identificação em dia, embora não haja lei obrigatória. O tempo máximo recomendado para atualizar a carteira de identidade é a cada 10 anos. Segundo a servidora, instituições como DETRAN-MG (Departamento de Trânsito de Minas Gerais) aceitam a identidades de apenas cinco anos atrás.

Dessa forma, Vitória Lúcia aconselha a população a atualizar a identidade o mais cedo possível, considerando ser o principal documento necessário, e sem deixar para a última hora. Ela também pede compreensão a todos, diante das justificativas apresentadas.

A emissão é a partir de 8 horas da manhã, no Poupa Tempo.

 

Fonte:

Arcos e Região