Para relembrar os dias de folia na cidade, assista ao documentário na Sexta-feira “de Carnaval” (25 de fevereiro)

Para relembrar os dias de folia na cidade, assista ao documentário na Sexta-feira “de Carnaval” (25 de fevereiro)

O Governo Municipal demostrou bom senso quando suspendeu a festa de Carnaval que era promovida pela Prefeitura em espaços públicos. Afinal, a pandemia permanece, com vários casos de Covid registrados diariamente e óbitos em decorrência da doença, O que resta para quem sente saudades da folia são as lembranças.   

Segundo o diretor da Casa de Cultura, Adriano Ribeiro, o Carnaval de rua de Arcos já foi famoso, com desfiles da escola de samba Império Arcoense, nas gestões da ex-prefeita Hilda Andrade (segunda gestão: 1997 a 2000) e Plácido Ribeiro Vaz (segunda e terceira gestões: 1993/1996 e 2005/2008). Diante do atual contexto, desfavorável a aglomerações, Adriano e sua equipe montaram um cenário de Carnaval no pátio da Casa de Cultura.

Adriano relatou que algumas pessoas, quando passam pelo local, demonstram saudosismo. Também relembram a época dos desfiles e recordam de alguns enredos, como a História da cidade de Arcos ou a temática do Circo, tudo feito “com um bom gosto impecável”, comenta.

Na Casa de Cultura, há um acervo de fotos e o diretor está trabalhando em um documentário sobre a época. Os depoimentos irão relatar a história do Carnaval em Arcos, revivendo grandes momentos. “A gente precisa cuidar um pouco mais desse acervo, manter ele vivo na memória das pessoas”, disse, expressando a importância das lembranças alegres.  Esse documentário ficará arquivado na Casa de Cultura e será divulgado nas redes sociais na sexta-feira “de Carnaval”, dia 25, a partir das 17 horas.

 

Feriado de “Carnaval”

A ACE (Associação Comercial e Empresarial de Arcos) comunicou que na segunda-feira, 28, o comércio em Arcos funcionará normalmente; já na terça-feira, 1º de março, permanecerá fechado. A ACE também esclarece que indústrias, setores de prestação de serviços, supermercados, mercearias, hortifrutigranjeiros, açougues e seus derivados possuem legislação específica, sendo assim, podem abrir de acordo com as normas da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).  

 

Fonte:

Cultura e Entretenimento