Paz em meio as aflições

Todas as vezes que ocorre uma tragédia, Deus se torna alvos da maldade humana. Como cristãos, mesmo em meio ao sofrimento, devemos participar do culto público na casa de Deus, no domingo, Dia do Senhor, porque é um alívio prazeroso para nossa alma, um exercício de confiança em Deus e uma forma de fortalecer nossa fé, entretanto, o espaço físico que a igreja atualmente usa para adoração (Templo), não limita o nosso o culto de adoração a Deus, porque a verdadeira adoração não está restrita a um lugar, porque ela é espiritual, em “espírito e em verdade” (Jo 4.21,23), ou seja, adoramos a Deus com a mente, o coração, com a alma e o corpo, em verdade, sinceridade e honestidade no Templo, em casa, no trabalho, andando pelas ruas, nas instituições de ensino e em qualquer lugar! No Novo Testamento, a Igreja de Deus é o templo do Espírito Santo, meu corpo é a casa de Deus e os membros da igreja de Jesus Cristo são as pedras vivas dessa construção.
Sendo assim, onde está o povo de Deus reunido em obediência à santa convocação, ali está o Templo de Deus! O Templo de Deus é a igreja, que é a reunião dos membros do corpo de Cristo, a junção dos filhos de Deus, resumindo, o Templo de Deus são os cristãos. Isso quer dizer, em outras palavras, que o ajuntamento para a adoração ao nome do Senhor, sobretudo no Dia do Senhor, é algo pelo que os cristãos precisam ansiar. Em tempos de sofrimento e aflições, os cristãos clamam ao Senhor Deus, o adoram em conjunto, e em meio a comunhão temos a bênção do que deveria ser mais valioso para os cristãos neste mundo, o ajuntamento do povo de Deus, congregar na igreja, estar juntos com os filhos de Deus, porque é “bom e agradável viverem unidos os irmãos”, pois, “ali [no ajuntamento] ordena o Senhor a sua bênção e a vida para sempre” (Sl 133.1,3).
De fato, nada está fora do controle soberano de Deus, porque “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28). É tempo de refletir, lamentar e de se arrepender por todas as vezes em que, sem motivos sérios, negligenciamos o ajuntamento solene, porque um coração corretamente engajado na adoração a Deus, cumpre corretamente os quatro primeiros mandamentos da Lei de Deus, que em sua essência baseiam-se no amor que temos a Deus, lembrando que uma adoração aceitável é o resultado de vidas aceitáveis diante de Deus. O profeta Amós disse que o maior perigo para o povo de Deus não é o enfrentamento de fome ou sede, mas a falta de desejo em ouvir as palavras do Senhor Deus (Amós 8.11). Que Deus nos ajude!

Colunas