O tempo passa

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 18/04/2020) – Edição 2047

Marlon Santos

ALÔ, ARCOS! Como estão estranhos os domingos sem futebol! Os campeonatos indefinidos e, principalmente, sem previsão do retorno dos atletas dentro das quatro linhas. O futebol consegue envolver milhares de pessoas e é, sem dúvida, um esporte emocionante, que chama a atenção até mesmo dos leigos. Durante mais de duas décadas, escrevo neste conceituado jornal e jamais poderia imaginar em passar quase um mês sem ter assunto referente ao futebol e ao esporte em geral. Tudo muito estranho, sem saber ao certo quando teremos assuntos e discussões calorosas sobre a vitória ou derrota de uma equipe, pois o tempo passa e sempre com indefinições referentes ao esporte.

Os estádios vazios são o retrato de tudo que está acontecendo, assim como os atletas inativos tentando manter a forma física; essa é a atual realidade. Encontro com diversos jogadores que sempre me perguntam quando a bola voltará a rolar em nossos gramados. É uma pergunta que não tem resposta, pois sequer podemos imaginar o que irá acontecer amanhã. Os diretores tentam se animar e acreditam que tudo poderá ter um fim rápido, já os pessimistas acreditam que neste ano não teremos bola rolando nos gramados. Vamos seguindo nossas vidas com a esperança de que tudo terá um fim e que, depois de um período longo de reflexão, possamos entender que o adversário não é um inimigo e, sim, nosso amigo, que em determinado momento teremos que superá-lo, apenas isso. Concorda?

 

Situação de alguns clubes durante este período

Os clubes de futebol do Brasil buscam soluções para encarar a crise financeira desencadeada pela pandemia do novo coronavírus e a consequente paralisação dos campeonatos

 

Atlético Mineiro

Em 29 de março, o Atlético tomou a principal decisão para reduzir gastos durante a paralisação das competições, período no qual a arrecadação dos clubes cai drasticamente. Em documento assinado pelo presidente Sérgio Sette Câmara e pelo presidente do Conselho Deliberativo, Castellar Guimarães Filho, ficou definido um corte salarial de 25% para todos os funcionários e colaboradores – incluindo jogadores e dirigentes – que recebessem mais de R$ 5 mil.

 

Cruzeiro

O Cruzeiro, assim como os demais clubes do futebol brasileiro, paralisou suas atividades no futebol por causa da pandemia do coronavírus. Apesar de o clube trabalhar nos bastidores em busca de contratações e tentando fazer o planejamento para o restante da temporada, os trabalhos são bastante prejudicados devido à COVID-19.

 

América mineiro

O América-MG também vem sentindo os efeitos da paralisação do futebol, devido à pandemia do novo coronavírus. O presidente do Coelho, Marcos Salum, admitiu que alguns contratos de patrocínio serão suspensos por causa da crise mundial e que a busca para desenvolver o projeto de clube-empresa ficou paralisado.

 

Campeonato mineiro

Em função da pandemia do coronavírus, o futebol profissional em Minas Gerais seguirá paralisado ao menos até o dia 30 de abril. O comunicado foi feito pela Federação Mineira de Futebol na tarde dessa última quarta-feira, por meio das redes sociais.
A paralisação afeta o calendário dos Módulos I e II do Campeonato Mineiro. A elite ainda está na disputa da primeira fase, faltando duas rodadas para o encerramento dela, além dos jogos de ida e volta da semifinal e da final. A decisão do título estava prevista, inicialmente, para 26 de abril.

 

Arcos e região

Em Arcos e região, a situação não é diferente e tudo continua indefinido. O regional Master 40+ não tem data para o retorno dos jogos e ainda fica pendente. O sub-23 segue o mesmo caminho e sequer tem uma luz no fim do túnel. Quanto ao Campeonato Arcoense de Futebol, que estava previsto para iniciar no mês de maio, tem que aguardar  as definições das autoridades arcoenses. Os estádios estão sendo zelados e os atletas ficam na expectativa de uma definição. Muitos diretores estavam preparando suas equipes para disputarem os torneios programados. No momento, estão apenas se reestruturando.

 

Indefinições

Como está tudo indefinido, o atual cenário mostra que os estádios de Arcos e região estão sendo mantidos por colaboradores e esses fiéis desportistas tentam manter os gramados aptos para a futura prática do futebol. Mesmo com suas dificuldades normais, eis que alguns diretores tentam manter o entusiasmo e, com esperança, estão incentivando seus atletas a manterem a forma, porém, tomando os cuidados necessários.

 

Lembrando

O Campeonato Arcoense de Futebol, que não chegou a se iniciar, tem como pretendentes ao título o Ypiranga, o Associação, o Bela Vista, o Social, o Sociedade, o Palmeiras e o Santana. O Regional 40+, que chegou a ter as primeiras rodadas, conta com as equipes do Associação, Vila e Social que representam Arcos. Já o Sub-23 tem a presença do Bela Vista como único representante de Arcos.

Colunas