O EVANGELHO E O SOFRIMENTO

O EVANGELHO E O SOFRIMENTO

O EVANGELHO E O SOFRIMENTO

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 27 de novembro de 2021) Edição 2130

Lidar com o sofrimento não é simples e nunca foi uma tarefa fácil, mas, o nosso Deus, o Senhor Jesus Cristo, também passou pelo sofrimento, Ele sofreu como nós, sabe exatamente o que sentimos, entende perfeitamente a nossa dor. Somos consolados quando recorremos ao Senhor em nossas piores horas porque nossa situação não Lhe é estranha e Ele não é indiferente quanto ao que passamos.
Apesar de existirem cristãos que acreditam fielmente que pelo fato de Jesus Cristo ter sofrido em seu lugar e por serem “mais que vencedores”, não deveriam sofrer, porém, somos pecadores e o pecado gera sofrimento. Por causa de uma compreensão errada, muitos supõem que o sofrimento é sempre uma obra maligna e até mesmo por causa da falta de fé, entretanto, o sofrimento de Cristo nos serve como exemplo para esta vida. Ao contrário do que alguns ensinam de que não há mais sofrimento na vida cristã, a bíblia ensina que Jesus Cristo sofreu sem pecar, Ele é o nosso exemplo de como viver em meio ao sofrimento.
O Apóstolo Pedro disse que o cristão também foi chamado para o sofrimento, porque Jesus Cristo sofreu em nosso lugar, nos deixando exemplo, para seguirmos Seus passos (1Pedro 2.21). A Bíblia não ensina que os cristãos estão isentos ao sofrimento, mas assume essa realidade nos oferecendo a direção quanto ao propósito do nosso sofrimento. Houve propósito no sofrimento de Cristo e há propósito no nosso sofrimento. Por causa do sofrimento e da morte de Jesus Cristo, Ele foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos” (Hebreus 2.9). Cristo sofreu com um propósito, Ele tinha de provar a nossa morte e ser coroado por isso. O Apóstolo Paulo disse: “De fato, tivemos em nós a sentença de morte, para que não confiássemos em nós mesmos, e sim no Deus que ressuscita os mortos…” (2 Coríntios 1.9). Ele também disse que somos “vasos de barros, para que se veja que a excelência do poder provém de Deus, não de nós…” (2Coríntios 4.7) e “levamos em nosso corpo o morrer de Jesus, para que também a vida Dele se manifeste em nosso corpo” (2Coríntios 4.10).
O sofrimento pode ser para a revelação da glória e manifestação das obras de Deus (João 9.3) e o nosso sofrimento deve nos direcionar a uma maior dependência de Deus, ou seja, sofrer com propósito. Não estamos lidando com o acaso, não estamos sob ação última do diabo, mas sim do nosso Deus soberano que usa adversidades para realizar seus planos divinos! Termos essa consciência de que Deus está fazendo algo em nossa dor, muda a maneira de experimentarmos o sofrimento. Deus está sempre no controle de tudo.

Igreja Presbiteriana