O árbitro e seus momentos de incertezas

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 30/05/2020) – Edição 2054

ALÔ, ARCOS! Talvez não tenha uma profissão mais ingrata dentro das quatro linhas igual a  profissão de ser um árbitro de futebol. Obviamente, que todos que atuam no futebol são considerados profissionais, sendo assim a arbitragem também é uma profissão. Quando se inicia uma partida de futebol o mais visado é o árbitro, pois é dele a decisão final de um lance que pode definir uma partida. Seus auxiliares, em sua maioria, costumam se posicionar próximos ao alambrado e sentem de perto a fúria do torcedor fanático, que em determinados momentos extrapolam em suas cobranças. Mas, o árbitro fica entre a torcida e os atletas e em questão de minutos tem que definir o lance. Imagino que os noventa minutos devam tirar o sono de muitos profissionais do apito. Vejo de perto a atuação de muitos árbitros e chego à conclusão de que seus erros não são intencionais, pois trata-se de pessoas dígnas e que têm o meu respeito. Porém, o torcedor pensa de outra forma e sempre tem a certeza que o erro foi proposital, e que tudo foi um plano muito bem arquitetado. O torcedor vitorioso esquece todos os erros cometidos durante os noventa minutos, mas, o derrotado tem que achar um culpado e o vilão sempre é árbitro. Aliás, a nossa vida é sempre assim, temos que encontrar um culpado pelos nossos erros e no futebol não seria diferente. Não admitimos que somos passíveis de erros e queremos encontrar um vilão. Durma com um barulho desse!

 

No futebol amador

No amadorismo a situação é mais complicada, afinal, o trio de arbitragem fica exposto a tudo e a todos, sem exceção. A maioria dos estádios não oferecem sequer segurança e mesmo assim estes heróis do apito seguem suas vidas e tentam impor autoridade. O valor financeiro que recebem é ilusório perante as constantes agressões morais e físicas que sofrem durante uma partida de futebol. Coitada de sua mãe, costuma receber elogios impublicáveis. Porém, os árbitros do futebol amador não desistem de seguir este caminho cheio de espinhos e assim conduzem esta profissão ingrata dentro das quatro linhas. Na verdade, a vida de um árbitro é algo inexplicável, pois escolheram um tortuoso  caminho para participar do futebol. Concorda?

 

Figura imprescindível no campo

Hoje em dia o árbitro está cada vez mais em evidência dentro de uma partida de futebol, tendo uma importância muito grande dentro de campo. Mesmo ele não podendo participar diretamente da partida fazendo ou impedindo gols, ou ainda sendo um dos destaques de uma equipe, muitas vezes ele é tido como culpado por vitórias ou derrotas das equipes aos olhos dos torcedores, jogadores, dirigentes e apaixonados por este esporte, tornando-o o grande vilão de uma partida. Embora muitos critiquem a presença dele dentro de uma competição, sabe-se que ele é imprescindível para a realização de uma partida. O árbitro é tão importante para o futebol que, sem a presença dele não é permitida a realização de uma partida oficial (International Football Association Board, 1999). Na realidade, conforme as regras atuais, para que uma partida seja conduzida com eficiência, deverão estar presentes no campo de jogo, no mínimo, três árbitros, isso porque um atuará como árbitro principal, aquele que apita a partida, e os outros dois atuarão como árbitros assistentes, podendo ainda existir um quarto árbitro denominado árbitro reserva. Ainda, em fase de testes, existe a possibilidade de haver mais dois árbitros auxiliares de gol, estes posicionados fora do campo de jogo bem próximos ao gol, com a função de ajudar o árbitro nas suas decisões.

 

Campeonato Italiano tem prazo até 20 de agosto para terminar, indica federação

A Federação Italiana de Futebol (FICG na sigla em italiano) aprovou um plano de retomada do Campeonato Italiano nas três primeiras divisões. O plano dos dirigentes é que os jogos restantes sejam realizados entre 13 de junho e 2 de agosto, com um prazo máximo para definição das competições até 20 de agosto.

Colunas