Goleiro é o atleta solitário

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 16/05/2020) – Edição 2051

Marlon Santos

ALÔ, ARCOS! Se tem um atleta que fica solitário dentro das quatro linhas, esse é o goleiro. Ele faz parte de um show onde os heróis são aqueles que se sobressaem. Jogar debaixo das traves e tentar evitar a derrota são coisas rotineiras na vida do arqueiro. Torna-se herói ou vilão em questão de poucos minutos. Uma defesa quase impossível no último minuto de jogo é o suficiente para consagrar aquele atleta que está entre ‘a cruz e a espada’. Porém, não conseguir defender uma bola e posteriormente sacramentar a derrota de sua equipe pode ser sinônimo de culpa. Ninguém dentro das quatro linhas fica tão apreensivo como um goleiro, pois é dele grande parte da responsabilidade do resultado de uma partida de futebol. Ser goleiro é praticar o impossível, tentar vencer sempre e com muita garra.

É querer evitar o inevitável sempre achando, lá no fundo, que dava para defender o mais indefensável. É jogar um jogo coletivo de forma quase individual e, depois de uma grande defesa, ainda que não te agradeçam, saber que você é tão importante quanto o atacante. É saber dizer que falhas fazem parte, pois só quem joga lá sob as traves sabe o quanto as defesas, que parecem fáceis, podem ser bem mais difíceis do que se espera. Enfim, ser goleiro é ser o coração do time, mesmo em um jogo onde o principal objetivo você deve evitar.

 

Em Arcos

Em nossa cidade temos diversos exemplos de goleiros do atual futebol e isso é de conhecimento dos desportistas. Paulinho, um dos grandes  nomes do Associação, é um desses exemplos. Ele é considerado um dos responsáveis por alguns títulos dos alvinegros. Outro que tem seu reconhecimento é Tiago Belarma, que com a camisa do Ypiranga realizou grandes jogos e se tornou um nome unânime entre os torcedores celestes. Esses são nomes que no atual momento estão em evidência. Mas, tem aqueles que têm seus nomes escritos ao longo da história do futebol amador de Arcos e região; não tem como citar todos estes heróis, mas, cada torcedor tem seu nome predileto.

 

Alguns goleiros que atuaram no Brasil e marcaram seus nomes

 

Manga

Haílton Corrêa de Arruda, ou ‘Manga’, é conhecido como um dos maiores goleiros da história do futebol brasileiro, apesar de só ter vestido a camisa da seleção em 12 ocasiões.

 

Rogério Ceni

Vencedor de uma Copa do Mundo como reserva em 2002. Ceni nunca se estabeleceu completamente na seleção brasileira. Fora do Brasil, é conhecido principalmente por ser o maior goleiro-artilheiro da história, com 134 gols.

 

Júlio César

Com 64 partidas na seleção brasileira e mais de 200 aparições pela Internazionale, Júlio César é um dos grandes goleiros na história do Brasil. O ex-jogador do Flamengo alcançou o auge de sua carreira em 2009 e 2010, quando ajudou o time de José Mourinho a conquistar o tão esperado título da Liga dos Campeões.

 

Castilho

Um veterano com quatro Copas do Mundo no currículo, o goleiro Castilho é considerado um dos maiores jogadores da história do Fluminense. Reconhecido pelas suas saídas espetaculares.

 

Emerson Leão

O hoje técnico Emerson Leão chegou a treinar a seleção em 2001, mas, foi como goleiro que teve seu maior destaque. Vestiu a camisa da seleção em 80 ocasiões entre 1970 e 1986. Venceu a Copa do Mundo de 1970, como apenas 21 anos, mas era reserva. Participou das Copas de 1974 e 1978 como titular.

 

Dida

Outro goleiro que venceu a Copa do Mundo de 2002 como reserva, Dida seria titular na Copa do Mundo de 2006. Dida venceu em sua ilustre carreira vários campeonatos, incluindo o brasileiro, Série A /italiana, dois Mundiais de Clubes da FIFA, duas Ligas dos Campeões, Copa Libertadores e inúmeros outros títulos.

Colunas