É Dever da Igreja Suplicar pela Pátria

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 03/08/2019) – Edição 2012

Rev. Saulo de Oliveira Matos

As Escrituras nos convocam à oração pela pátria, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Esta prática deve fazer parte da nossa vida de adoração a Deus. Orar pela conversão dos governantes é de fundamental importância para nós, enquanto Igreja, e para a sociedade que é abençoada por conta disso (1ª Tm 2.1- 2).

No livro do Profeta Jeremias nós lemos: “Procurai a paz da cidade, para onde vos desterrei, e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz.” (Jr 29.7). Os judeus eram cativos, mas o Senhor lhes mandou interceder pela cidade daqueles que os aprisionavam. Nós vivemos em um lugar hostil, a corrupção e a violência em nosso país são grandes.

Tal contexto é preocupante e assustador, mas não é novidade para nós. Violência e corrupção estão presentes em nosso dia a dia há muito tempo. Como servos de Deus, colocados por Ele nesta cidade e país, devemos interceder ao Senhor para que Ele abençoe a nossa terra, com a diminuição da corrupção e da violência. Não devemos agir como aqueles que não conhecem a Deus, e desprezar a intercessão como principal ponto de transformação social e de nossas autoridades (Rm 13.1- 7).

Os ímpios maldizem o governo e as autoridades, mas, geralmente, não fazem nada para que a situação mude. Nós, porém, não podemos agir da mesma forma. Além disso, temos o Deus Altíssimo ao nosso lado e adiante de nós para nos guiar e sustentar. Não só podemos, como devemos, recorrer a Ele em súplicas por essas mudanças necessárias. Devemos ter em mente que não é a política que pode transformar o quadro degradante no qual se encontra o Brasil, mas sim o Evangelho da Graça de Deus.

Nosso país vive dias difíceis com a crise política, moral, econômica e social que se instalou no Governo, nas Casas Legislativas e no Judiciário. São escândalos e mais escândalos como a enorme onda de grampos telefônicos de grandes autoridades constitucionais (como ministros, juízes federais e membros do STF). É preciso refletir sobre todas essas crises que vivemos enquanto sociedade e nação.

Acima de tudo devemos perseverar em oração até o desfecho de toda essa situação e, posteriormente, continuar orando por aqueles que detém cargos públicos de liderança em nosso Brasil, crendo que o princípio de autoridade foi constituído por Deus para o bem social. Por isso a oração é fundamental. “Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” (Tg 5.16b). Somos diretamente responsáveis pelas orações e súplicas diante de Deus em favor da cidade de Arcos, do nosso estado e do país. Caro cidadão de Arcos, você é nosso convidado para participar desta missão cristã e patriótica diante da Palavra de Deus, em constante oração na Igreja Presbiteriana do Brasil em nossa cidade.

 

Colunas