A Páscoa Cristã

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 26/04/2019) – Edição 1998

Rev. Saulo de Oliveira Matos

 

“Quando vossos filhos vos perguntarem: Que rito é este? Respondereis: É o sacrifício da Páscoa ao SENHOR, que passou por cima das casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu os egípcios e livrou as nossas casas.”
(Êx 12.26- 27A).

Recentemente, vivenciamos um feriado conhecido e celebrado por cristãos em todo o mundo: a Páscoa Cristã! Para você o que é Páscoa? Você sabe algo sobre esse feriado? É uma data para celebrar o “coelhinho” e comer chocolate? Ou é apenas um dia de ida “obrigatória” à igreja?

Assim como todo país livre possui e comemora o dia de sua independência, a Páscoa possui para o povo de Israel semelhante significado. O povo hebreu viveu um longo período de escravidão no Egito, até que em 1445 a.C foi finalmente liberto da escravidão através da ação miraculosa de Deus, sob a liderança de um homem chamado Moisés.

Desde sua libertação e saída do Egito, o povo Hebreu passou a comemorar a Páscoa todos os anos. Este não é um feriado inventado pelo comércio ou por homens criativos, mas sim uma data instituída pelo próprio Deus, para que o seu povo sempre pudesse relembrar o grande livramento que Ele proveu para com Israel.

A morte de Cristo ocorreu exatamente na páscoa, e o apóstolo Paulo nos diz em 1ª Coríntios 5.7, que Jesus Cristo é o nosso Cordeiro Pascal. Assim como a páscoa era um marco histórico de libertação do povo, também através de Jesus encontramos a libertação que proporciona salvação. Através do sacrifício de Cristo na cruz, homens e mulheres de todas as nacionalidades podem tornar-se filhos e filhas de Deus encontrando paz e vida eterna.

A verdadeira páscoa não é sobre o coelho e sim sobre o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29) que ofereceu sua vida para salvação de muitos. Os cristãos devem olhar para páscoa lembrando sempre que ela apontava profeticamente para Cristo. O Senhor Jesus celebrou a páscoa pela última vez e instituiu a Santa Ceia em substituição ao rito do Antigo Testamento segundo o Evangelho de Mateus 26.17- 30, e todos os cristãos sempre devem relembrar a sua Morte e Ressurreição. Vamos celebrar, pois Cristo foi crucificado, morto e sepultado, mas ressurgiu dentre os mortos ao terceiro dia e vivo está. Louvamos a Deus por Cristo Jesus, e celebramos sua misericórdia para conosco não apenas nesta data, mas em todos os dias de nossas vidas. Caro cidadão de Arcos, você é nosso convidado para conhecer mais de Cristo (nosso Cordeiro Pascal) e de sua Palavra na Igreja Presbiteriana de em nossa cidade.

Colunas