A história do América Mineiro

(Artigo publicado pelo Jornal CCO impresso em 10/04/2021) – Edição 2097

Marlon Santos

América Futebol Clube, também conhecido como América, América Mineiro ou Coelho, é um clube brasileiro da cidade de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

Fundado em 30 de abril de 1912, o clube preserva o mesmo nome e escudo desde sua criação. Suas cores de jogo são o verde, o branco (desde 1912) e o preto, que foi incorporado ao uniforme em 1913, um ano após a fundação. Hoje, as três cores fazem parte das variações dos uniformes do tricolor América, mas o time também atuou com uniformes vermelhos, entre 1933 e 1942, em protesto à introdução do profissionalismo no futebol. O clube é proprietário do Estádio Independência, sendo o único de Belo Horizonte a mandar seus jogos em estádio próprio. O América também possui a terceira maior torcida entre clubes de Minas Gerais e já disputou mais de 4.300 partidas em sua História.

O América é um dos clubes mais tradicionais e bem sucedidos do Estado: recordista de participações no Campeonato Mineiro de Futebol, conquistou 16 títulos estaduais e foi vice-campeão em outras 15 oportunidades. As 10 primeiras conquistas foram em sequência entre 1916 a 1925, um recorde nacional de títulos consecutivos, façanha essa compartilhada com o ABC (RN), com a conquista mais recente tendo sido em 2016. Dentre os demais títulos, destacam-se as conquistas nacionais do: Campeonato Brasileiro série B, em 1997 e 2017; do Campeonato Brasileiro série C, em 2009; e da Copa Sul-Minas, de 2000. A melhor campanha no Campeonato Brasileiro série A ocorreu na edição de 1973, quando o Coelho obteve a sétima colocação entre 40 participantes, e na Copa do Brasil o terceiro lugar na edição de 2020.

O clube também é reconhecido por sua tradição na formação de novos jogadores. Entre as suas principais revelações, destacam-se Tostão, Éder, Palhinha, Gilberto Silva, Euller, Nakazawa, Alex Mineiro, Fred, Danilo e Richarlison. O América possui os 3 principais títulos nacionais das categorias de base: Copa São Paulo de Juniores de 1996, Campeonato Brasileiro de Futebol Sub-20 de 2011, e duas Taça Belo Horizonte de Futebol Júnior, em 2000 e em 2014.

Fonte: Wikipédia

 

Primeiros anos

O América foi fundado por um grupo de jovens da elite mineira em 30 de abril de 1912. Residentes, quase todos, nos arredores das Ruas Bahia e Timbiras, na bucólica Belo Horizonte de 1912. Os rapazes empolgados com o novo esporte, que começava a virar mania, resolveram fundar um clube para a prática do futebol.

Como não conseguiram chegar a um consenso sobre o nome da nova agremiação, decidiram então realizar um sorteio e, entre Arlequim, Guarany e Tymbiras, o nome contemplado foi América. Esta reunião foi realizada em maio, nos porões da casa de Adhemar de Meira.

Os fundadores do clube foram: Ademar Meira, Afonso Silviano Brandão, Alcides Meira, Álvaro Moreira da Cruz, Augusto Pena, Aureliano Lopes Magalhães, Caetano Germano, César Gonçalves, Francisco Bueno Brandão, Fioravante Labruna, Gersôn de Salles Coelho, Guilherme Halfed, Henrique Diniz Gomes, José Miranda Megale, Leonardo Gutierrez, Leon Roussoulliéres Filho, Oscar Gonçalves e Waldemar Jacob.

As cores do clube, desde a fundação, foram o verde e o branco, também escolhidas por sorteio. Em 1913, o preto foi incorporado ao estatuto do clube, passando a fazer parte das variações dos uniformes até hoje. A primeira diretoria do América ficou assim estabelecida.

 

Década de 1960, início da Era Mineirão

Um fato extremamente negativo para a história do clube ocorreu na década de 1960, com o fechamento do departamento juvenil do América, em 1964, por motivos até hoje desconhecidos (departamento reaberto logo no ano seguinte), tendo o América com isto, perdido para o Cruzeiro diversos jovens e promissores atletas, entre eles jogadores do quilate de Tostão, Hilton Oliveira, Vanderlei, o que ajudou o clube rival a montar uma das mais brilhantes equipes do futebol brasileiro e decretou um profundo enfraquecimento do América em pleno início da Era Mineirão, que se daria em 1965.

Apesar disso, o América ainda obteve o vice-campeonato mineiro em 1964, embora perdendo o título para o Siderúrgica por 3 a 1, em uma final realizada no Estádio da Alameda, tendo feito o artilheiro da competição Jair Bala, 25 gols. Foi vice novamente em 1965, perdendo o título de campeão para o Cruzeiro.

 

A reestruturação do América e novas conquistas relevantes

No final da década de 1980 e início da década de 1990, inicia-se uma fase de renascimento do clube, com forte retomada dos investimentos nas categorias de base e contratações de bons jogadores. Foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro série C, em 1990, e ano após ano o América foi ganhando força. Em 1992 obteve acesso ao Campeonato Brasileiro da série A, foi vice-campeão mineiro e finalmente voltou a conquistar o Campeonato Mineiro, em 1993, após 22 anos de espera. Em 18 jogos, o América obteve 11 vitórias, 6 empates e apenas 1 derrota, para o Valério, no primeiro turno.

Em 1993, o América foi rebaixado no Campeonato Brasileiro, apesar de ter obtido a 16ª posição em um torneio com 32 equipes. A diretoria entrou na Justiça comum tentando reverter o rebaixamento e o clube foi punido pela CBF, ficando impedido de disputar os torneios por ela patrocinados de 1994 até 1996. Entretanto, em 1995 foi vice-campeão mineiro.

Colunas