Chegou a hora das crianças

Acontece amanhã, 22 de janeiro, o início da vacinação de crianças contra a Covid-19 em Arcos. Crianças na faixa etária de 5 a 11 anos, que têm comorbidade, poderão ser vacinadas neste primeiro momento, quando o município recebeu 190 doses.

A vacinação se dará entre 7h30 e 11h30 deste sábado, na quadra da Escola Estadual Dona Berenice de Magalhães Pinto, centro da cidade. É necessário levar Certidão de Nascimento ou Identidade, CPF ou Cartão do SUS e caderneta de vacinação da criança.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, há a previsão de vacinar aproximadamente 3200 crianças, neste ano, em Arcos. Não há dados que indiquem o número de crianças com comorbidade ou deficiência permanente no município.             

A Comirnaty, vacina da Pfizer aprovada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), será o imunizante usado na vacinação de crianças de 5 a 11 anos.

Importante ressaltar que a dose infantil contém apenas um terço do princípio ativo da vacina em comparação com a dose para a população adulta, segundo a bula do imunizante.

Recomendações e exigências do Ministério da Saúde (MS)

O MS indica a vacinação de crianças de forma não obrigatória sob algumas recomendações; veja quais:

-O MS recomenda que pais e responsáveis levem os filhos ao médico a fim de verificar se não há contraindicação;

-Pais ou responsáveis deverão estar presentes e manifestar a concordância com a vacinação; na ausência deles, a vacinação só será permitida por meio de um termo escrito de assentimento;

-A aplicação das vacinas deve seguir fielmente as recomendações da ANVISA.

-Intervalo de 8 (oito) semanas entre a primeira e segunda dose.

Ordem de prioridade

De acordo com o Ministério da Saúde, a ordem de prioridade das crianças que receberão o imunizante será a seguinte:

-Indígenas e Quilombolas;

-Crianças com deficiência permanente ou comorbidades;

-Crianças que vivem em locais com pessoas que correm o risco de evoluir para o quadro grave de Covid-19;

-Crianças sem comorbidades na seguinte ordem: 10 e 11 anos; 8 e 9 anos; 6 e 7 anos e; 5 anos.

Fique atento! Os pais ou responsáveis por crianças com comorbidades deverão levar laudo, receita médica, exames ou qualquer outro documento que comprove a deficiência permanente ou comorbidade, desde que não visualizada.

 

Entrega das doses

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a estimativa é que o Estado de Minas Gerais tenha pouco mais de 1,8 milhão de crianças e, aguarda a entrega de 1,8 milhão de doses até março, como contou o Secretário Estadual de Saúde, Fábio Baccheretti, na ocasião em que a primeira criança mineira foi vacinada.

“Até março, Minas deve receber 1,8 milhão de doses para vacinar todas as crianças de 5 a 11 anos”.

O secretário ainda fez um alerta aos pais e responsáveis para que levem seus filhos para vacinarem.

“O Estado sempre vai recomendar a vacinação, já que está comprovada a redução dos casos graves da doença em pessoas que estão devidamente imunizadas. Por isso, pedimos que os pais ou responsáveis levem as crianças para serem vacinadas”, reforçou.

Reações que podem ocorrer

Pacientes com diabetes devem ter cautela ao receberem a vacina, pois a mesma contém açúcar em sua composição.

As crianças de 5 a 11 anos que receberem a vacina poderão sentir reações adversas, algumas comuns, outras nem tanto, veja:

Muito comuns – ocorrem em 10% dos vacinados: dor de cabeça, dor muscular, dor no local de injeção, cansaço, calafrios, inchaço no local da injeção e vermelhidão no local de injeção.

Comuns – ocorrem entre 1% e 10% dos vacinados: diarreia, vômito, dor nas articulações e febre.

Incomuns – ocorrem entre 0,1% e 1% dos vacinados: aumento dos gânglios linfáticos (ou ínguas), urticária (alergia da pele com forte coceira), prurido (coceira), erupção cutânea (lesão na pele), diminuição de apetite, náusea, dor nos membros (braço) e mal-estar.

Coronavac

Quinta-feira, 20 de janeiro, foi aprovada a aplicação da vacina Coronavac em jovens de 6 a 17 anos.

A vacina não poderá ser aplicada em pessoas com baixa imunidade, mas está liberada para o público com comorbidades.

A vacina que será aplicada é a mesma usada em adultos, mas ainda não há previsão do início da vacinação desse imunizante.

Site antigo